Estudo Químico e Avaliação Biológica da Própolis Vermelha de Alagoas

Telma Leda Gomes Lemos, Gisele Rocha Aguiar, Conceição Aparecida Dornelas, André Martins da Silva, Macia Cleane Soares de Almeida, Daniele Alves Ferreira, Francisco José Queiroz Monte, Raimundo Braz-Filho, Irvila Ricarte de Oliveira, Patrícia Georgina Garcia do Nascimento

Resumo


A investigação química do extrato etanólico de própolis vermelha permitiu o isolamento da 2-hidroxi-4,7-dimetoxiisoflavana (1), da 2,7-dihidroxi-4-metoxiisoflavana (2), da 2,4-dihidroxi-7-metoxiisoflavana (3), da 4,7-dihidroxi-2-metoxiisoflavana (4), da 2,4,4-trihidroxichalcona (5) e do lup-20(29)-em-3-ol (6). As estruturas das substâncias foram caracterizadas com base nos seus dados espectrais e por comparação com a literatura. Foi realizado o teste de atividade antioxidante do extrato da própolis, e suas frações hexânica, diclorometano, acetato de etila e metanólica, obtendo-se resultados satisfatórios e superiores ao padrão Vitamina C. Outra atividade testada foi a anticolinesterásica, tanto do extrato quanto das frações hexânica, diclorometano, acetato de etila e metanólica, obtendo-se resultados positivos em todas as amostras em relação ao padrão sal de Eserina, exceto para FHEEPV.

Palavras-chave


própolis vermelha; atividade antioxidante; atividade anticolinesterásica



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online