Estudo do Controle da Degradação do Captopril na Análise de Comprimidos por Cromatografia a Líquido de Alta Eficiência

Jovania Fabiana R. Paiva, Claudio C. Lopes, Rosangela S. C. Lopes, André M. Albert, Letícia G. F. Chantre, Ana Paula A. Furtado, Marciela Belisário

Resumo


Este trabalho propõe  uma alteração crítica no método analítico oficial por cromatografia a líquido de alta eficiência (CLAE) para a quantificação de captopril e de seu principal produto de degradação, o dissulfeto de captopril, em comprimidos de captopril. O objetivo desse estudo foi pesquisar alternativas analíticas que garantam que as soluções das amostras permaneçam estáveis, isto é, que seja minimizada a degradação oxidativa do captopril em solução, por um período de 24 horas, assegurando, dessa forma, que os resultados analíticos obtidos dentro desse período sejam confiáveis. A degradação do captopril em solução é discutida detalhadamente neste artigo. Para a condução desse estudo, foram utilizados seis lotes comerciais de captopril comprimidos 25 mg. O método analítico utilizado foi baseado na monografia oficial do produto descrita na Farmacopeia Brasileira (Farm. Bras.) 5ª edição e na Farmacopeia Americana (USP 36). Para o desenvolvimento do método analítico, foi realizado um estudo comparativo da estabilidade das soluções amostra, em três tipos de diluentes, dentro de um período de 24 horas, a fim de se avaliar em qual(is) diluente(s) as soluções amostra apresentam melhor estabilidade. A partir dos resultados obtidos, foi verificado que as amostras preparadas com o diluente metanol apresentaram uma estabilidade ótima dentro do período proposto, mantendo-se estáveis por todo esse tempo, ao contrário das soluções preparadas com o diluente indicado na monografia oficial do produto.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20150120


Palavras-chave


Captopril; Dissulfeto de captopril; Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE); Estabilidade; Degradação oxidativa.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online