Comparação entre metodologias de metilação na determinação de ácidos graxos em amostras de carne por CG-DIC

Osacar Oliveira Santos

Resumo


Diferentes metodologias de metilação foram aplicadas em diferentes carnes para comparar qual destas metodologias é mais adequada para quantificar os ácidos graxos (AG) presentes neste tipo de matriz. A partir dos resultados obtidos por cromatografia em fase gasosa, verificou-se que a metodologia de metilação direta apresentou a maior soma de AG para todas as amostras, que foram carne bovina, suína, de frango e de peixe, com 111,5, 44,39, 31,5, 62,01 mg g-1 de amostra. , respectivamente. O baixo rendimento das demais metodologias podem estar associados com diversos fatores, como a quantidade de ácidos graxos livres presentes na amostra, uma vez que, em meio básico, sofrem saponificação, e também, altas temperaturas podem ocasionam a degradação de alguns ácidos graxos, impossibilitando sua determinação. Além disso, a metilação direta pode ser utilizada efetivamente em matrizes de carne, uma vez que apresenta vantagens quanto à quantidade de amostra, solventes utilizados e tempo de preparação da amostra, que são muito menores quando comparada às metodologias Hartman e Lago e ISO.


Palavras-chave


lipídios, metilação direta, ultrason, cromatografia gasosa.



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online