Um estudo de prospecção tecnológica de patentes sobre Humulus lupulus

Baraquizio Braga do Nascimento Junior, Vanessa Neres Santana

Resumo


A prospecção de patentes é considerada hoje como uma ferramenta indispensável para o conhecimento do nível tecnológico em que se encontra determinada pesquisa científica, pois grande parte da informação tecnológica disponibilizada no mundo é divulgada sob a forma de documentos de patente. Dessa forma, o presente artigo teve como objetivo realizar um estudo de prospecção tecnológica de patentes sobre o uso do Humulus lupulus, uma planta de grande interesse comercial e industrial e que apresenta uma ampla gama de aplicações químicas e farmacológicas. A prospecção foi realizada em duas bases de dados de livre acesso. No INPI os países que mais depositaram patentes foram os Estados Unidos, Brasil e Holanda respectivamente, já na EPO a China dominou majoritariamente os depósitos. Ao comparar os perfis dos depositantes das duas bases de dados, foi possível observar que no INPI quem detém o domínio da técnica são as empresas, enquanto que na EPO os depósitos oriundos das instituições de ensino são praticamente equivalentes ao das empresas. Os resultados também demonstraram que embora o lúpulo seja uma planta composta por substâncias químicas com amplas propriedades farmacológicas, as patentes depositadas pelo Brasil ainda podem ser ampliadas, sendo este então um campo potencial para futuras pesquisas.

Palavras-chave


Lúpulo; Prospecção tecnológica; Banco de dados de patentes.



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online