Caracterização e Avaliação da Capacidade Adsortiva de Carvões Elaborados com Bananas

Pércia Graczyk Souza, Tadeu Miranda Queiroz, José Wilson Pires Carvalho

Resumo


Neste trabalho foi caracterizado e avaliado a capacidade remoção de cloreto de sódio de carvões adsorventes feitos com bananas, comparando-os com um carvão comercial. Foram utilizados carvões elaborados com bananas adquiridas no período de seca e chuva, verdes e maduras, nas composições de casca, polpa e casca com polpa, para caracterizá-los pelas variáveis: umidade, cinzas, rendimento, pH, condutividade, grupos funcionais, adsorção de azul de metileno e número de iodo. Os testes de adsorção de cloreto de sódio foram realizados com soluções de 20, 50 e 100 mg L-1, mantendo constante o pH característico da solução, frequência da mesa agitadora (80 rpm), temperatura (25 °C) e tempo de contato (2 horas). O período de aquisição dos frutos não influenciou na caracterização dos adsorventes. Foi constatada diferenças entre os parâmetros avaliados dos carvões que diferiam a maturação das bananas e a composição dos materiais utilizados como precursores dos adsorventes. Nos testes de adsorção, o carvão comercial removeu quantidade de cloreto superior à promovida pelos carvões de bananas. Entretanto, os carvões de bananas apresentaram maior capacidade adsortiva de sódio quando comparados com o carvão comercial, demonstrando seu potencial adsortivo associado à alternativa de reaproveitamento e consequente redução de acúmulo de resíduos dessa natureza.

Palavras-chave


Musa spp.; adsorção; Cloreto de sódio; água.



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online