Potencial terapêutico de Aloe vera (Aloe barbadensis): Uma breve revisão

Elini Oliveira Alves

Resumo


Aloe vera, conhecida popularmente como babosa, é uma planta que tem diversificado papel na medicina curativa desde as sociedades antigas, é uma espécie perene que possui elevada capacidade de resistencia à seca.  Pertence a ordem: Liliales; Família: Asphodelaceae; Subfamília: Asphodeloidceae; Gênero: Aloe e espécie: A. vera (Aloe barbadensis). A babosa é uma planta com grande potencial terapêutico, possuindo propriedades medicinais para a saúde humana, sendo também utilizada nos cuidados com a pele e para variedade de produtos comerciais. Seus compostos farmacologicamente ativos, presentes no gel e na seiva de aloe, são encontrados no tecido parenquimatoso interno e túbulos pericíclicos externos. Destaca-se no estudo os princípios ativos e propriedades químicas da Aloína usada como laxante, a presença dos polissacarídeos como o acemanano, os polissacarídeos pécticos e compostos fenólicos na produção de medicamentos. A. vera possui atividades biológicas com ação antinociceptiva, anti-inflamatória, cicatrizante e imunomoduladora presente nos polissacarídeos como o acemannano. A presente revisão, é portanto, um levantamento da literatura que levou em conta o interesse cada vez mais cresente sobre as atividades biológicas e propriedades terapêuticas de A. vera para os diversos campos de uso especialmente na área da saúde.

Palavras-chave


Atividade terapêutica; Aloe vera



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online