Difference between the results obtained by DIN and ASTM procedures in the bulk density of solid biomasses

João Lúcio de Barros, Renata Moreira, Jorge L. D. Santos, Danilo Eiji Hirayama, Ligia A. A. A. Souza, Marcelo Aparecido Mendonça, Leandro Cardoso Morais, Fábio Minoru Yamaji

Resumo


Os ensaios laboratoriais são de suma importância para a análise e caracterização físico-química dos materiais, especialmente para os biocombustíveis. As entidades de normatização padronizam alguns ensaios afim de garantir que a metodologia usada promova a reprodutibilidade do experimento e a confiabilidade do resultado. Entretanto, para a realização de alguns ensaios em escala laboratorial, onde frequentemente a quantidade de material requisitada pelo procedimento de ensaio não é conseguida, pode ser necessário recorrer a adaptações para adequar a quantidade de amostra ou a algum parâmetro não atingível. O objetivo desse trabalho foi validar o procedimento de ensaio de densidade aparente, seguindo as recomendações das normas ASTM 872 e DIN EN 17888, porém, com adaptações no volume de amostra e recipiente de ensaio. O procedimento foi realizado, em diferentes momentos, por seis pessoas previamente treinadas, com cinco materiais de diferentes características físicas. Os resultados mostraram que os procedimentos de ambas as normas resultam em valores aproximados em relação à densidade aparente dos materiais. Também foi confirmado que a heterogeneidade do material e os procedimentos manuais sugeridos pela norma contribuíram para algumas divergências nos resultados. Por fim, concluiu-se que uma maior repetição é recomendada para reduzir o erro devido à variação dos resultados entre as medidas.
Palavras-chave: método analítico; biocombustível sólido; reprodutibilidade; mensurações.

Palavras-chave


solid biofuel; analytical method; repeatability; measures.



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online