Análise Fitoquímica e Biológica das Folhas e Caule da Melothria fluminensis Gardner (Cucurbitaceae)

Maísa Borges Costa

Resumo


Estudos com espécies da família Cucurbitaceae possibilitaram o isolamento de diversos compostos com potencial terapêutico. A Melothria fluminensis Gardner, pertencente à família Cucurbitaceae, é uma trepadeira herbácea conhecida popularmente no Brasil como pepino-do-mato, uma espécie não endêmica distribuída nos seguintes biomas, Cerrado, Mata Atlântica e Amazônia. Porém são raros os estudos com a Melothria fluminensis. O presente artigo pretende mostrar os resultados iniciais obtidos em relação aos estudos fitoquímicos, potencial biológico frente á Artemia salina (Leach) e atividade antioxidante pelo método espectrométrico de descoloração do radical 2,2-difenil-1-picrilhidrazila (DPPH), dos extratos brutos da folha e do caule. Os extratos e frações que se destacaram quanto a toxicidade frente à Artemia salina (Leach) foram a fração acetato de etila do extrato bruto etanólico da Folha (EBES/F-ACOET) e o extrato bruto etanólico da folha com CL50 de 423,05 e 442 mg/L respectivamente. A fração que se destacou quanto a atividade antioxidante foi a EBES-AcOET do caule com IC50 de 97,5 mg/L.

Palavras-chave


Melothria fluminensis, prospecção fitoquímica, atividade antioxidante, toxicidade.



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online