MCM-41 derivada de sílica de esponja de água doce como suporte para HPW aplicado na esterificação de ácido oleico

Dayane Izabelita Santos Lacerda, Paulo Rogério da Costa Couceiro

Resumo


A MCM-41 foi sintetizada a partir de esponja de água doce (Metania kiliani) pelo processo hidrotermal. A impregnação aquosa de ácido 12-tungstofosfórico comercial (H3PW12O40; HPW) em 5, 10, 15, 20 e 30 %, respectivamente, em MCM-41 conduziu a formação de novos catalisadores preservando características mesoporosas hexagonais e dispersa homogeneamente na superfície e no interior dos poros da estrutura MCM-41. A caracterização dos catalisadores foi feita pelas técnicas analíticas: DRX, IVTF e MEV. Para fins de estudo foram realizados ensaios com os catalisadores nas condições de razão molar ácido oleico/metanol (1:7), temperatura (65 °C) e tempo (5 h) e 5 %(m/m) de catalisador. A quantificação de biodiesel convertido no processo esterificação do ácido oleico foi determinada por titulação com NaOH. Entre os diversos catalisadores, o de melhor desempenho foi HPW30 (MCM-41 + HPW 30 %) com taxa de conversão de 75,1 % de oleato de metila.

Palavras-chave


esponja, MCM-41; ácido fosfotúngstico (HPW), biodiesel



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online