As Múltiplas Contribuições para a Complexação Proteína-Ligante: Consequências em Drug Design

Cristiano R. W. Guimarães

Resumo


O processo de complexação proteína-ligante é extremamente complicado e no qual diversas contribuições desempenham papel crucial na afinidade entre moléculas pequenas e seus alvos biológicos. A energia livre de complexação é resultado de um balanço sensível entre contribuições que se opõem à complexação, como termos de penalidade para o ligante e a proteína (perda de interações com o solvente, deformação intramolecular e perdas entrópicas), e as que a favorecem como interações intermoleculares proteína-ligante e a liberação de águas do sítio ativo. Neste artigo, algumas das contribuições mais importantes para a complexação são dissecadas. O conhecimento profundo delas é de fundamental importância em Química Medicinal já que permite uma maior eficiência em ciclos de otimização de compostos líderes, acarretando na geração de análogos com maior afinidade e propriedades desejáveis.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20120027


Palavras-chave


Complexação proteína-ligante; contribuições entálpicas, contribuições entrópicas, interações intermoleculares.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online