Silagem ácida de resíduos de filetagem de duas espécies de peixes amazônicos para utilização em ração animal

Jeferson Stiver Oliveira, Suezilde Conceição Ribeiro, Manoel Tavares de Paula

Resumo


O objetivo do trabalho foi processar e caracterizar silagem ácida a partir de resíduos de duas espécies de peixes amazônicos: dourada e piramutaba, oriundos da pesca artesanal e industrial, respectivamente, e avaliar a qualidade através do pH, temperatura e composição centesimal. As análises químicas de proteína bruta, lipídios, umidade e cinzas das silagens úmidas e das farinhas desengorduradas foram realizadas em quatro tempos de armazenamento: após a adição do ácido (T0), no sétimo dia de silagem (T7), no décimo quinto dia (T15) e, por fim, no vigésimo dia (T20). Os resultados foram submetidos à ANOVA e ao teste de comparação de Tukey ( = 0,05). Nos 20 dias de experimento, a temperatura das silagens variou entre 25 e 28ºC. No 7º dia, o pH estabilizou em 4,3 para as duas silagens. Os teores de umidade, proteínas e lipídios das silagens úmidas de dourada e piramutaba diferiram estatisticamente com relação ao tempo de armazenamento. O ensilado úmido de dourada, no 7º dia, apresentou a maior média de proteína (13,10%), e para piramutaba, no 15º dia, com valor de 12,86%. Os tempos de silagem T7 e T15 se mostraram os melhores para a produção da farinha. As farinhas desengorduradas de dourada e piramutaba apresentaram valores proteicos de 66,78% e 66,64%, respectivamente. O resultado da composição centesimal das duas farinhas desengorduradas classifica-as como de 1ª qualidade, mostrando-se favoráveis para o uso em alimentação animal, devido ao ótimo nível de proteína e baixos valores de umidade e lipídios.

Palavras-chave


Silagem ácida;Resíduos de pescado; aproveitamento de subprodutos



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online