Antropoceno: os desafios de um novo mundo

Graciela Arbilla

Resumo


Resumo: Nas últimas décadas, o homem tem se convertido em uma força geológica, competindo com as forças naturais, no impacto e modificação do sistema Terra. O termo Antropoceno foi proposto pelos cientistas Paul Crutzen e Eugene F. Stoemer, em 2000, para descrever esse novo tempo e enfatizar o papel preponderante do homem na geologia e na ecologia. Neste artigo é feita uma breve revisão da história do Antropoceno, desde o ponto de vista geológico e ambiental e mostrada a confluência da Química com a maioria dos assuntos centrais à discussão do Antropoceno, à luz do futuro de nosso Planeta. São discutidas as diferentes abordagens para identificar o início do Antropoceno e as evidencias de que, desde o ponto de vista da química, da biologia e das ciências ambientais, estamos em um novo tempo, diferente do Holoceno. Não há dúvidas que o homem tem modificado o Planeta de uma forma inequívoca e, em alguns casos irreversível, e que os conceitos do Holoceno não podem mais ser utilizados para descrever as tendências das variáveis químicas e biológicas e o futuro do sistema Terra como um todo. O amanhã depende, em grande medida, das ações para otimizar a relação do homem com o meio ambiente. O conceito dos Limites Planetários define um espaço seguro para o desenvolvimento da humanidade em relação ao sistema Terra e está baseado em um pequeno número de sub-sistemas ou processos, muitos dos quais exibem uma mudança abrupta de comportamento quando certos umbrais são transpostos. A Química tem um papel central no objetivo de identificar e manter esse espaço seguro no qual a humanidade poderá se desenvolver e evoluir.

Palavras-chave


Antropoceno; Grande Aceleração; Limites Planetários; mudanças globais; química ambiental.

Coment?rios sobre o artigo

Visualizar todos os coment?rios


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online