Avaliação do potencial de novas espécies oleaginosas para a produção de biocombustível

Carla Verônica Rodarte de Moura, Barbara Cristina da Silva, Edmilson Miranda de Moura, Adriano Gomes de Castro, Marcos Emanuel da Costa Veloso, Ilza Maria Sittolin Sittolin, Eugenio Celso Emérito de Araujo

Resumo


O Nordeste brasileiro apresenta uma vasta gama de plantas oleaginosas, embora a maioria delas não tenha sido totalmente aproveitada em aplicações tecnológicas. Com a crescente demanda por fontes alternativas de energia, como o biodiesel, o estudo dos óleos dessas oleaginosas têm apelo claro. O presente trabalho estudou a extração dos óleos de babaçu e pinhão manso via sistema Soxhlet, bem como a degomagem dos óleos de babaçu, buriti, macaúba e pinhão mando. As características físico-químicas de todos os óleos foram determinadas. O perfil cromatográfico dos óleos mostrou que o óleo de pinhão manso e buriti apresentaram uma grande quantidade de ácido oleico, 50,4% e 69,0%, respectivamente. A análise termogravimétrica (TG) dos óleos evidencia que todos são estáveis até a temperatura de 380 ºC. Os resultados encontrados sugerem que essas plantas têm grande potencial para produção de óleos que possam ser empregados na obtenção de biodiesel.

Palavras-chave


oleaginosas, babaçu, buriti, macaúba, pinnhão manso



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online