Leishmaniose: aspectos gerais relacionados com a doença, o ciclo do parasita, fármacos disponíveis, novos protótipos e vacinas

Vinícius Redua Blanco, Nailton Monteiro Nascimento-Júnior

Resumo


A leishmaniose foi considerada por muito tempo uma doença negligenciada por apenas possuir casos registrados em países subdesenvolvidos. Com o passar dos anos e fatores como a globalização, que proporcionou grande migração de pessoas e animais, a doença se tornou endêmica em países onde não havia muitos casos confirmados. Os tratamentos atuais contra essa doença são eficazes, porém os efeitos colaterais e o preço do tratamento completo em algumas partes do mundo acabam impedindo o tratamento da doença ou não permitindo o tratamento completo, resultando em evolução para os estágios mais graves da doença, podendo levar o paciente a óbito. Neste contexto, diversos grupos de pesquisa têm buscado novos candidatos a fármacos a partir de fontes naturais ou de medicamentos com função antiparasitária. Neste artigo são discutidas as principais formas de tratamento da doença atualmente, assim como novos compostos bioativos que vem sendo desenvolvidos buscando alternativas com menores efeitos colaterais e mais efetivas em comparação com os tratamentos atuais, além do entendimento geral sobre a doença e seu ciclo.


Palavras-chave


Leishmaniose, ciclo do parasita, compostos bioativos, relação estrutura-atividade



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online