Quatro Novos Elementos na Tabela Periódica de Mendeleev: O que Muda na Prática?

Caroline D. Nicoletti

Resumo


No final do ano de 2015, a IUPAC e a IUPAP presentearam o mundo com a inclusão de quatro novos elementos químicos na tabela periódica, permitindo assim, que a sétima linha da tabela fosse completada. O desenvolvimento artificial dos quatro novos elementos foi atribuído a três países, Japão, Rússia e Estados Unidos, cabendo a estes a sugestão da nomenclatura. Em 8 de junho de 2016, os elementos tiveram seus nomes oficializados nihonium (Nh, Z = 113), moscovium (Mc, Z = 115), tennessine (Ts, Z = 117) e oganesson (Og, Z = 118). A obtenção de novos elementos, mesmo que com estabilidade na casa dos milissegundos, abre caminho para descoberta de elementos ainda mais pesados, possivelmente mais estáveis e assim, podendo mudar o rumo da história da física, química e até mesmo da área da computação.

Palavras-chave


Novos elementos químicos; tabela periódica; fusão atômica.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os coment?rios


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online