ELETRODOS IMPRESSOS CONSTRUÍDOS POR SERIGRAFIA UTILIZANDO NEGRO DE FUMO COMO MATERIAL CONDUTOR

Sérgio Maurício Vallelongo dos Santos, Paulo Roberto Oliveira, Michelle Colman Oliveira, Márcio Fernando Bergamini, Luiz Humberto Marcolino-Jr

Resumo


O uso de eletrodos impressos tem se tornado bastante atrativo nos últimos anos em função principalmente de sua versatilidade e baixo custo. No presente trabalho, foram desenvolvidos eletrodos impressos utilizando metodologias de produção simples (serigrafia) e materiais alternativos (negro de fumo e acetato de celulose). Eletrodos impressos preparados com 75% (m/m) de negro de fumo e 25% (m/m) de acetato de celulose apresentaram o melhor desempenho e foram empregados na determinação cronoamperométrica de ácido ascórbico e de íons chumbo e cádmio utilizando a voltametria de redissolução anódica. Limite de detecção de 3,1 x 10-5 mol L-1 e desvios relativos inferiores a 1,9% foi verificado para a determinação de ácido ascórbico e faixas lineares de resposta de 8,0 x 10-7 a 3,2 x 10-5 mol L-1 e 1,0 x 10-6 a 6,3 x 10-5 mol L-1 foram encontradas para íons cádmio e chumbo respectivamente.


Palavras-chave


Eletrodos impressos; negro de fumo; sensores voltamétricos



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online