Identificação de Potenciais Inibidores da Beta-Cetoacil Sintase do Mycobacterium tuberculosis por Triagem Virtual

Thiago F. N. Miranda, Manoelito C. Santos Junior

Resumo


A tuberculose (TB) é um grave problema de saúde pública de contínua disseminação. A necessidade de novos e eficientes fármacos é evidente para um melhor controle da TB. Para atingir este objetivo foi selecionada a enzima chave beta-cetoacil sintase (EC 2.3.1.41), tendo em vista que essa enzima atua na síntese de ácidos micolicos, etapa fundamental para a sobrevivência do microorganismo. Desta forma, este trabalho objetivou a identificação de novas entidades químicas capazes de interagir com a beta-cetoacil sintase, empregando-se técnicas de triagem virtual. A triagem virtual foi realizada no programa DOCK 6.5 e utilizando o banco de fragmentos do ZINC. Após ranqueamento dos compostos por número, as 100 melhores estruturas foram submetidas a análise pelo algoritmo SOM disponível no servidor AuPosSOM. As interações intermoleculares identificadas pelo AuPosSOM foram analisadas, e com isso, novas entidades químicas foram propostas. As afinidades teóricas desses novos compostos foram avaliadas frente a enzima em estudo. Os resultados apontaram que o fragmento ZINC51860757 obteve melhor afinidade pela enzima e a moléculas teórica LMM7, obtida de modificação estrutural do fragmento de origem, obteve ganho energético e manteve o padrão de interações intermoleculares. Com base na estratégia baseada na estrutura do alvo, a triagem virtual possibilitou testar a atividade teoricamente, antes do composto ser submetido aos ensaios in vitro, possibilitando assim um maior planejamento e direcionamento, que pode reduzir bastante o custo e tempo empregado na pesquisa de novos fármacos.


Palavras-chave


Triagem virtual; beta-cetoacil sintase; ácidos micólicos.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os coment?rios


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online