Influência da Deformação Plástica a Frio na Dureza e na Resistência à Corrosão de Aços Inoxidáveis Superduplex Envelhecidos a 475 oC

Juan Manuel Pardal, Sergio S. M. Tavares, Maria P. C Fonseca, João Vitor Matias, Eduardo A. Ponzio, Marcelo C. Macêdo

Resumo


Os aços inoxidáveis superduplex (AISD) aliam elevadas propriedades mecânicas com uma alta resistência à corrosão em ambientes agressivos, visando aplicações em tubulações, vasos de pressão, trocadores de calor, bombas e outros componentes em indústrias que operem com fluídos altamente corrosivos. Entretanto, em condições de serviço contínuo, tais como em reatores e trocadores de calor, altas temperaturas podem ser atingidas. A abordagem inédita deste trabalho visa estabelecer a influência de uma pré-deformação verdadeira plástica a frio de 1,39 nos valores de dureza e resistência à corrosão dos AISD UNS S32750 e UNS S32760 obtidos após envelhecimento térmico. A motivação deste trabalho reside no fato que certas partes de equipamentos de processo podem ser deformadas a frio e experimentar aquecimentos próximos à temperatura estudada de 475 °C, na qual a cinética de precipitação da fase deletéria ? é mais intensa. Os resultados apresentados mostram que a deformação plástica a frio acelera a cinética de precipitação desta fase nos AISD UNS S32750 e UNS S32760.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20150107


Palavras-chave


Aços superduplex; deformação a frio; dureza; resistência à corrosão.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online