Avaliação comparativa da inibição de acetilcolinesterase por AChE-ICER e pelo método in vitro de Ellman modificado de análogos simplificados 3-O-acetil-N-benzil-piperidínicos do Donepezil

Joyce Izidoro da Silva, Patrícia Carolina Nicastro, Patrícia C. M. de Oliveira, Poliana C. Fossaluzza, Élida P. Morais, Kris Simone T. Dias, Rodrigo S. da Costa, Newton G. Castro, Carmen Lúcia Cardoso, Claudio Viegas Jr

Resumo


Inibidores de Acetilcolinesterase (AChEI) ainda são os melhores fármacos usados para a terapêutica da doença de Alzheirmer (DA). Dentre os IAChEs disponíveis, o donepezil apresenta a maior meia-vida, os efeitos colaterais mais brandos, além de segurança e tolerância satisfatórias; portanto, este tem sido utilizado como medicamento de primeira escolha no tratamento de DA leve a moderada. A triagem bem sucedida de novos AChEI depende de métodos rápidos e eficientes. Os ensaios empregados mais frequentemente são baseados no uso do reagente de Ellman (ensaio colorimétrico) ou do reagente Fast Blue B, além de métodos radioquímicos, espectrométricos ou cromatográficos. Uma abordagem mais recente utiliza a enzima imobilizada em reator capilar, acoplada a um sistema cromatográfico, que é conhecido como ICER (do inglês immobilized capillary enzyme reactor). Como parte de um projeto que visa à identificação de novos IAChEs, este artigo descreve a avaliação comparativa da atividade inibitória da AChE de uma série de derivados 3-O-acetil-N-benzilpiperidínicos substituídos por duas diferentes abordagens:  método de Ellman modificado in vitro e uma metodologia de ICER. Embora nenhum dos compostos da série tenha apresentado alta atividade inibitória, todos os ensaios revelaram resultados consistentes, demostrando que é possível aplicar diferentes metodologias confiáveis para a busca e idendificação de novos inibidores de AChE.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20150139


Palavras-chave


Química Medicinal; análogos N-benzil-piperidinícos; inibidores de acetilcolinesterase; doença de Alzheimer; enzima imobilizada; enzima imobilizada em reator capilar.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online