Interações entre Complexos Antitumorais e o DNA e suas Ferramentas de Análise: um Enfoque nos Metalointercaladores

Carolina Valério Barra, Adelino V. G. Netto

Resumo


O DNA é apontado como um dos principais alvos dos compostos antineoplásicos. A cisplatina e seus análogos manifestam sua atividade através de ligações covalentes às bases nitrogenadas do DNA. No entanto, a riqueza estrutural do DNA possibilita sua interação com complexos metálicos de diversas maneiras, sendo a intercalação frequentemente observada. Os metalointercaladores constituem uma classe de potenciais agentes antitumorais e o fato de possuírem mecanismo de ação diferente da cisplatina faz com que sejam fortes candidatos a contornarem problemas como a resistência celular. O tipo de interação complexo-DNA pode ser estudado através de diversas técnicas, entre elas reação com a guanosina, ensaio de mudança da mobilidade eletroforética do DNA (EMSA), medidas de viscosidade, titulação espectrofotométrica para determinação de Kb, desnaturação térmica do DNA e espectroscopia de fluorescência.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20150118


Palavras-chave


Complexos antitumorais, interação com DNA, metalointercaladores

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online