Análise Quantitativa do Óleo de Tungue (Aleuritis fordii) por Espectroscopia de RMN de 1H

Daniele Cristina H. Seremeta, Adriano G. Viana, Jarem Raul Garcia, Paulo Irajara I. B. Carneiro

Resumo


Este trabalho descreve as equações derivadas da integração dos dados do espectro de RMN de 1H que nos permitiram acessar vários indicadores de qualidade do óleo de tungue. Alguns desses úteis indicadores de qualidade são laboriosos e consomem tempo quando obtidos por análises convencionais, mas facilmente acessíveis por dados de RMN de 1H. As análises realizadas dessa maneira mostraram que o óleo de tungue apresentou peso molecular médio em cerca de 842,0-886,0 g/mol, iodo 222,0-228,0 gI2/100g, índice de saponificação 191,0-200,0 mg KOH/g, ácidos graxos saturados 2,0-7,0%, ácidos graxos insaturados 93,0-98,0%, proporção de hidrogênios olefínicos por alifáticos 1,74-1,84, ácidos alfa-eleosteárico 72,7-81,6%, linolênico 0,0%, linoléico 1,6-8,7% e oléico 8,0-15,0%. Estes resultados estão de acordo com informações anteriores em relação aos ácidos graxos contidos no óleo de tungue e indicaram que a espectroscopia de RMN de 1H é uma ferramenta muito útil em análises de óleos, produzindo resultados semelhantes ou superiores aos obtidos por métodos clássicos de análise.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20150117


Palavras-chave


Espectroscopia de RMN de 1H; ácido alfa-eleosteárico; indicadores de qualidade do óleo de tungue.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os coment?rios


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online