Biomonitoramento de Elementos Metálicos em Peixes de Água Doce da Região Amazônica

Caio Renan G. Serrão, Altem N. Pontes, Kelly das Graças F. Dantas, Heronides Adonias Dantas Filho, João B. Pereira Junior, Patrícia O. Nunes, Fábio Israel M. Carvalho, Dulcidéia da Conceição Palheta

Resumo


O monitoramento de ambientes aquáticos por meio do uso de bioindicadores tem sido objeto de estudo em vários trabalhos recentes, principalmente, devido à preocupação com os efeitos prejudiciais que os níveis de elementos metálicos podem apresentar para os organismos aquáticos e também por criar riscos relacionados ao consumo humano de alimentos contaminados. Foram quantificados os teores de Cr, Fe e Zn em músculos e brânquias de peixes de sete espécies da região amazônica, coletados no rio Piraíba localizado no distrito de Icoaraci, Belém Pará. Para a quantificação do elemento metálico Cr foi usada a espectrometria de absorção atômica em forno de grafite e para a determinação de Fe e Zn foi utilizada a espectrometria de absorção atômica com chama. A validação do método foi realizada através do método de adição e recuperação. Os teores de Cr obtidos foram (< 0.19 4.93 ?g g-1) em músculo, para brânquias (0.20 206.50 ?g g-1), para o elemento Fe no músculo (< 8.00 27.00 ?g g-1), em brânquias (< 8.00 2130.33 ?g g-1), para Zn foram obtidos em músculo (8.93 42.39 ?g g-1) e em brânquias (31.30 282.36 ?g g-1). Na análise dos dados foi calculado o índice de ingestão semanal tolerável para os três componentes minerais, foi aplicada análise de componentes principais (PCA) e análise de agrupamento hierárquico (HCA). Os resultados obtidos para Cr excederam os limites estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para consumo humano tanto em músculo quanto em brânquias. Os teores de Zn não ultrapassaram os valores estabelecidos para músculo e excederam para brânquias e para o Fe foram obtidas altas concentrações nas brânquias.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20140107


Palavras-chave


Elementos metálicos; peixes; bioindicadores.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online