Micotoxinas e seu Potencial como Agentes de Guerra

Marcelo C. dos Santos, Roberto B. Sousa, Sérgio Eduardo M. de Oliveira, Keila S. C. Lima, Antonio Luiz S. Lima

Resumo


O presente artigo faz uma breve revisão sobre as micotoxinas, enfatizando seu potencial como agente de guerra. Micotoxinas são metabólitos secundários de fungos, com variada toxicidade, que afetam enormemente produtos agrícolas em todo o mundo. Além de sua ocorrência natural, suas características propiciam condições que possibilitariam seu uso em combate ou em atentados, constituindo assim motivo de preocupação. São citadas aqui apenas algumas das principais, entre as que mais geram prejuízos e as que mais oferecem risco. As micotoxinas abordadas são aflatoxina, ocratoxina, zearalenona, fumonisina B1, patulina, alcaloides de Ergot e tricotecenos, com suas estruturas químicas, propriedades, sintomas das respectivas micotoxicoses e demais informações julgadas pertinentes. Fatos históricos mostram que há precedentes que justificam a necessidade de desenvolvimento de técnicas de detecção, determinação, descontaminação e desintoxicação, aspectos também explorados no presente documento. São abordados, ainda, os mecanismos de ação destas substâncias no organismo e os impactos na economia resultantes de sua ocorrência.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20140046


Palavras-chave


Micotoxinas; guerra biológica; guerra química.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online