Guerra Química: Perspectivas no Estudo de Reativadores da Enzima Acetilcolinesterase Inibida por Organofosforados

Juliana O. S. Giacoppo, Wilian E. A. de Lima, Kamil Kuca, Tanos C. C. França, Elaine F. F. da Cunha, Teodorico C. Ramalho

Resumo


Os ataques recentes na Síria utilizando o agente neurotóxico sarin alertaram mais uma vez a opinião pública mundial e a comunidade científica quanto à utilização de armas químicas. Sabe-se que agentes dos nervos são potentes inibidores da acetilcolinesterase (AChE), enzima responsável pela hidrólise do neurotransmissor acetilcolina e, consequentemente, pela transmissão de impulsos nervosos. A inibição da AChE por um organofosforado (OP) pode ser revertida por um nucleófilo, que desfosforila a Ser203 no sítio ativo da enzima. Nesse sentido, as oximas têm essa característica, pois são capazes de remover o neurotóxico e reativar a enzima. Neste trabalho, revisamos alguns resultados experimentais e teóricos que envolvem estudos de ancoramento molecular e métodos híbrídos quanto-mecânicos/mecânica molecular (QM/MM) usando os softwares Molegro® e Spartan® para analisar as interações de diferentes oximas e OPs com a AChE e avaliar as constantes cinéticas de reativação.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20140041


Palavras-chave


Guerra química; organofosforados; oximas; ancoramento; QM/MM.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online