Um estudo semiótico sobre o conteúdo de formas exordiais de representação do espaço na química orgânica no final do século XIX

Leonardo Dangelo, Waldmir Araujo Neto, Claudia Moraes de Rezende

Resumo


Nesse estudo apresentamos, pela primeira vez na literatura, uma análise semiótica das formas de uso dos diagramas pictóricos com formas de quadrados e de seus moldes físicos, empregados por August Hofmann em um conjunto de lectures, durante o período que esteve na Grã-Bretanha ensinando no Royal College. A metodologia adota para análise semiótica a tipologia das dez classes de Charles Peirce, e realiza comparações com outras formas simbólicas semelhantes, usadas por John Daniell. Os resultados revelam que a semiose imposta por Hofmann aos seus quadrados sugere formas de uso compatíveis com a classe de signo do tipo legisigno-simbólico-dicente. Ao final conclui-se que esse aspecto dicente, encontrado nos diagramas pictóricos de Hofmann, manifestam uma forma exordial de apresentar o espaço como um componente do “corpo químico” (chemical body como usado nas referências estudadas).


Palavras-chave


semiótica; filosofia da química; forma simbólicas; representação química



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online