Theoretical and Experimental Studies of the Interaction between Human Serum Albumin and Artepillin C, an Active Principle of the Brazilian Green Propolis

Carlos Maurício R. Sant’Anna

Resumo


A própolis verde brasileira é produzida na região sudeste do país pelas abelhas Apis mellifera, que utilizam como fonte de extração as plantas da espécie Baccharis dracunculifolia. Esse tipo de própolis apresenta diversas atividades biológicas, as quais estão geralmente atreladas à presença do composto natural Artepillin C. Albumina sérica humana (ASH) é o principal carreador de pequenas moléculas na corrente sanguínea e, tendo em vista o potencial farmacológico da Artepillin C, o objetivo do presente trabalho é o estudo da interação ASH:Artepillin C por técnicas espectroscópicas (dicroísmo circular, fluorescência no estado estacionário e resolvida no tempo), potencial zeta e ancoramento molecular. A interação ASH:Artepillin C ocorre no estado fundamental no sítio I da albumina, sendo controlada tanto pela entropia quanto pela entalpia. A presença de Artepillin C acarreta uma pequena perturbação na estrutura secundária da albumina e nenhum tipo de perturbação significativa em sua superfície. Estudos de ancoramento molecular sugerem que as principais forças controladoras da interaçãoASH:Artepillin C são van der Waals, hidrofóbica e ligação de hidrogênio.


Palavras-chave


Própolis verde brasileira; Artepillin C; Albumina sérica humana; Espectroscopia; Ancoramento molecular



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online