Adoçantes Artificiais e Naturais: Propriedades Químicas e Biológicas, Processos de Obtenção e Potenciais Efeitos Nocivos

Thaiz Rosa Ribeiro, Natália Fernanda Frediani Pirolla, Nailton Monteiro Nascimento-Júnior

Resumo


Há indícios da utilização de substâncias com propriedades adoçantes desde a Idade da Pedra (Pré-história), seja em suas espécies naturais como o mel, as polpas de figos e tâmaras ou, mais recentemente, os aditivos alimentares, como os adoçantes artificiais ou naturais produzidos e comercializados com o objetivo de substituir o açúcar. Nesta revisão, serão abordados os aspectos históricos, bem como as mais diversas fontes de açúcar e informações sobre seu processo de fabricação e refino, a utilização de adoçantes no decorrer da história, mais especificamente os naturais e artificiais, informações sobre o processo de obtenção e efeitos no organismo, os aspectos nutricionais envolvidos, as doenças que podem ser provocadas pelo consumo excessivo de açúcar ou adoçantes e as possíveis consequências de uma dieta sem o consumo de açúcar.

Palavras-chave


Adoçantes; Açúcares; Alimentos dietéticos; Aspectos nutricionais.



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online