Utilização da Casca de Pinus para Extração de Taninos e Aplicar como Coagulante no Tratamento do Efluentes Industriais

Jair Juarez João, Walter Satiro Júnior

Resumo


Estudos vêm demonstrando que os resíduos vegetais podem ser utilizados para extração de tanino e ser aplicado como coagulantes no tratamento de efluentes líquidos. Diante desse cenário, o objetivo deste trabalho foi utilizar a casca de Pinus para fazer a extração de taninos e aplicar como coagulante no tratamento de efluente industriais. Inicialmente foi feito a extração de taninos da casca de Pinus utilizando diferentes solventes, como bissulfito de sódio 5%, etanol e água. Os taninos obtidos foram utilizados como coagulantes no tratamento de efluentes gerados em uma indústria de saneantes domissanitários. Os resultados obtidos mostraram que a remoção dos contaminantes aumenta à medida que se aumenta a concentração de tanino no meio, sendo que os melhores resultados foram observados entre 3000 a 3500 mg L-1. Com a concentração de 3500 mg L-1 de taninos, os valores médio para remoção de detergente foi 98%, cor 96,4%, turbidez 92,2%, DQO 85,1% e DBO 91%. Entretanto, para concentrações menores os valores de remoção foram inferiores. Com estes resultados, foi possível esquematizar uma proposta de estação de tratamento de efluentes, que apresenta a capacidade de condicionar o efluente para que possa ser reutilizado na empresa para fins não-potáveis.

Palavras-chave


Tratamento de efluentes; Reuso de água; Contaminantes

Coment?rios sobre o artigo

Visualizar todos os coment?rios


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online