Avaliação do Potencial Bioacumulador e Fitorremediador da parte aérea de Montrichardia linifera (Arruda) Schott

Anderson de Santana Botelho, Cristine Bastos do Amarante, Sandro Henrique dos Reis Chaves, Raimundo Junior da Rocha Batista, Alejandro Ferraz do Prado

Resumo


A poluição ambiental ocasionada por metais tóxicos tem aumentado com o avanço da atividade industrial e agrícola. Dentre as técnicas de tratamento de ambientes contaminados, destaca-se a fitorremediação: por ser um método eficiente, barato e inofensivo ao meio ambiente já que utiliza plantas para realizar o tratamento. Estudos realizados com a Montrichardia linifera, uma macrófita aquática encontrada vastamente às margens dos rios amazônicos, mostram que a planta absorve altas concentrações de manganês, o que pode ser um indicativo de bioacumulação deste metal por parte da planta. Desta forma, o objetivo deste estudo foi avaliar o potencial bioacumulador e fitorremediador da parte aérea de M. linifera comparando os teores de metais encontrados na planta com os encontrados no solo. As amostras de folha, pecíolo, caule e solo foram coletadas no aningal do campus pesquisa do Museu Paraense Emílio Goeldi e determinados os teores de Ca, Mg, Cu, Fe, Zn, Mn, Pb, Cd, Co e Ni do material seco em espectrômetro de absorção atômica de chama. A M. linifera apresentou alta bioacumulação de quase todos os metais analisados, principalmente manganês nas folhas (149,11 µg g-1) e zinco no pecíolo (10,36 mg g-1) com cerca de 16,5 e 10,7 vezes, respectivamente, a concentração presente no solo. Os resultados mostram que planta acumula grandes quantidades de manganês, zinco, cádmio e cobre em sua parte aérea, com teores bem superiores ao disponível no solo, possuindo assim grande potencial para aplicação na fitorremediação de ambientes contaminados por esses metais.

Palavras-chave


Aninga, Contaminantes, Metais Pesados



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online