Carbono grafite obtido de baterias de zinco-carbono exauridas aplicadas como eletrodo em sensores eletroquímicos

Christiana Andrade Pessôa, CLEVERSON SIQUEIRA SANTOS, Valeria Gremisk Pawlak, Rafaela Daiane de Oliveira, Sérgio Toshio Fujiwara

Resumo


Este artigo descreve a construção de um eletrodo de baixo custo e reutilizável, utilizando eletrodo de carbono grafite (CG) obtido de baterias de zinco-carbono exauridas, modificados com micropartículas de ouro. O eletrodo de CG foi modificado pela eletrodeposição potenciostática de micropartículas de ouro e aplicado como sensor eletroquímico para detecção simultânea de dopamina (DA) e ácido úrico (AU). Os efeitos do tempo de deposição, potencial e concentração do precursor tetracloroaurato(III) de hidrogênio (HAuCl4.3H2O) na formação do eletrodepósito foram sistematicamente estudados, utilizando microscopia eletrônica de varredura (FEG-SEM), difração de raios X (XRD) e métodos eletroquímicos incluindo voltametria cíclica e cronoamperometria. Os resultados confirmaram que as partículas de ouro possuem boa atividade eletrocatalítica para a detecção eletroquímica simultânea de dopamina e ácido úrico na faixa de 9,9 a
90,0 mol L-1 para DA e na faixa de 0,13 a 0,51 mmol L-1 para AU com limites de detecção de 2,6 μmol L-1 e 58,9 μmol L-1, respectivamente. Esses resultados indicaram que o eletrodo CG reutilizado de baterias exauridas além de ser ambiental correto, apresentar baixo custo tem potencial aplicação como sensor eletroquímico.

Palavras-chave


Eletrodo de grafite de carbono; ouro; eletrodeposição potenciostática; sensor eletroquímico; baterias exauridas



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online