A química dos produtos finais de glicação avançada

Natália Machado Pereira de Oliveira Torres, Jadriane de Almeida Xavier, Marília Oliveira Fonseca Goulart, Rosemeire Brondi Alves, Rossimiriam Pereira Freitas

Resumo


A glicação é o termo IUPAC mais geral usado para descrever uma reação não enzimática entre açúcares e outras biomoléculas. Entretanto, o termo glicação é também muito frequentemente usado para descrever não a reação per se, mas a sequência de reações não enzimáticas que se inicia quando açúcares redutores como glicose e frutose reagem com grupos nucleofílicos de aminoácidos constituintes de proteínas, lipídeos ou ácidos nucleicos, gerando os chamados produtos de glicação avançada (AGEs, acrônimo em inglês para Advanced Glycation End-Products). Estes produtos, também formados por outras rotas metabólicas, estão associados a diversas disfunções fisiológicas no organismo como a aterosclerose, a osteoporose, a asma, a artrite, a sarcopenia, a doença de Alzheimer, o câncer e diversas complicações diabéticas. Devido aos efeitos biológicos já relatados, a busca por moléculas que inibam a formação de AGEs é de extrema importância. A presente revisão pretende mostrar os aspectos químicos relacionados com a formação, atuação e inibição dos AGEs.

Palavras-chave


glicação; produtos finais de glicação avançada (AGEs); compostos carbonílicos reativos; antiglicante; anti-AGEs



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online