Análise de especiação de compostos orgânicos voláteis precursores de ozônio nas Bacias Aéreas da Região Metropolitana do Rio de Janeiro

Graciela Arbilla

Resumo


Neste trabalho foram determinadas as concentrações e especiação dos compostos orgânicos voláteis (COVs) precursores de ozônio, na atmosfera das Bacias Aéreas I, II, III e IV e da Microbacia Aérea da Zona Sul, na Região Metropolitana de Rio de Janeiro. Os COVs foram determinados segundo o Método TO-15 da US EPA, usando canisters (botijões de aço inox eletropolidos) para a amostragem e cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massas e termodessorção (CG-EM-DT) para injeção e análise química das amostras. Foram determinados 52 COVs, na faixa C3-C12, estando os valores médios para a concentração total de COVs na faixa de 169,32 µg m-3 para a Bacia Aérea II até 274,62 µg m-3 para a Microbacia Aérea da Zona Sul. A distribuição mássica dos compostos, classificados por grupos químicos e reatividade dos mesmos, mostram que existem características próprias de cada bacia, relacionadas às fontes de emissão. Assim, mesmo existindo eventual transporte de massas de ar entre as diferentes bacias, os resultados sugerem que as bacias apresentam não só características geográficas diferentes, como, também, características químicas (composição do ar) e físico-químicas (reatividade e potencial formador de ozônio) diferentes.

Palavras-chave


poluição atmosférica, Método TO-15, bacias aéreas, reatividade de compostos orgânicos voláteis, ozônio troposférico.



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online