Determinação dos teores dos micronutrientes minerais por FAAS em raízes de mandioca (Manihot esculenta Crantz) da Amazônia Oriental

Arthur Abinader Vasconcelos, Heronides Adonias Dantas Filho, Paulo Sérgio Taube Júnior, Kelly das Graças Fernandes Dantas, Bruna Sousa Gomes, Roberto Lisboa Cunha, Elisa Ferreira Moura Cunha, Francisca das Chagas Bezerra Araújo, Alessandra Santos Lopes, Willison Eduardo Oliveira Campos

Resumo


p { margin-bottom: 0.25cm; direction: ltr; color: rgb(0, 0, 10); line-height: 120%; text-align: left; }p.western { font-family: "Calibri",serif; font-size: 11pt; }p.cjk { font-family: "Calibri"; font-size: 11pt; }p.ctl { font-size: 11pt; }a:link { color: rgb(0, 0, 255); }

O objetivo deste trabalho é determinar a quantidade de micronutrientes Fe, Zn, Mn e Cu de nove amostras de raízes de mandioca por Espectrometria de Absorção Atômica de Chama (FAAS). Quatro amostras foram obtidas de um comércio local, cultivadas sem qualquer informação sobre as condições ambientais de plantio ou colheita. As outras cinco amostras pertencem a um banco ativo de germoplasma (BAG) em condições de plantio e meio ambiente conhecidas. O teor de Fe variou de 0,54 a 5,24%, Zn de 0,38 a 6,55%, Cu de 0,04 a 0,89% e Mn de 0,16 a 0,41%. As amostras comerciais apresentaram resultados esperados para todos os elementos analisados, enquanto que as amostras de BAG apresentaram vantagens na absorção de ferro. Amostras do comércio local não apresentaram ferro em sua composição, mas foram as únicas a apresentarem manganês em sua composição. Tal característica foi, portanto, um parâmetro essencial para distinguir as amostras comerciais das demais. O conhecimento das condições de plantio e meio ambiente é essencial para assegurar prováveis ??fatores exógenos que podem causar variações na absorção de micronutrientes. Esse fator deve ser levado em conta ao estimar a absorção de micronutrientes em amostras de mandioca.


Palavras-chave


Mandioca; Quimiometria; Micronutriente; FAAS; Manganês; Cobre; Zinco; Ferro

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os coment?rios


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online