Composição e atividade larvicida do óleo essencial Eugenia candolleana DC. (MYRTACEAE) contra o Aedes aegypti

Ilzenayde de Araújo Neves, Sabrina Rita da Fonseca Rezende, Juliana Marques Kirk, Emerson Guedes Pontes, Mario Geraldo De Carvalho

Resumo


O mosquito Aedes aegypti é o vetor do vírus da dengue, Chikungunya e Zika. O aumento da resistência dos mosquitos a inseticidas comerciais prejudica programas de controle regulares; portanto, a prospecção química de espécies de plantas com propriedades larvicidas tem sido uma alternativa para o controle deste vetor. O óleo essencial de Eugenia candollena DC foi extraído por Clevenger modificado e seus constituintes identificados utilizando a cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas e quantificados pela cromatografia gasosa. O óleo obtido foi rico em  sesquiterpenos, demonstrando o b-elemeno (35,87±0,13%) como componente majoritário. A mortalidade das larvas do A. aegypti foi de 100% em 24 h após o tratamento com o óleo na concentração de 0,50 µg/µL e a CL50 para este tempo foi estimado em 0,30 µg/µL.



Palavras-chave


Larvicida; sesquiterpenos; CL50; Aedes; CG-EM



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online