Métodos Sintéticos para a Preparação de Biarilas

Thais de Brito da Silva, Fernando de Carvalho da Silva, Vitor Francisco Ferreira

Resumo


A unidade estrutural biarila é frequentemente encontrada em produtos naturais, fármacos e agroquímicos. Portanto, a formação da ligação carbono-carbono é de extrema importância no planejamento sintético de substâncias. Muitos métodos de obtenção de biarilas são descritos na literatura, entretanto as metodologias de acoplamento cruzado catalisado por níquel ou paládio como, por exemplo, Kuma-Tamao-Corriu, Negishi, Migita-Kosug-Stille, Suzuki-Miayura e Hiyama, são as ferramentas mais importantes e as mais utilizadas atualmente. Essas reações evitam a necessidade de proteção e desproteção de grupos funcionais, pois são tolerantes a maioria dos grupos, tais como: aldeídos, cetonas, amino, nitrilas, hidróxidos, ésteres e grupo nitro. Neste trabalho, serão abordadas essas metodologias de acoplamento cruzado e suas características principais.

Palavras-chave


biarilas; acoplamento cruzado; metal de transição; acoplamento C-C; níquel; paládio.



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online