Estudo da Correlação Entre a Temperatura de Fusão e Composição Química das Cinzas Gerada em Usina Termelétrica no Sul do Brasil

Jair Juarez João, Everton Skoronski, Diego Bittecourt Machado, Jéssica Mendonça Ribeiro, Fabio Silveira Costa

Resumo


Neste trabalho foi realizado um estudo sobre a correlação da composição química e a temperatura de fusão das cinzas produzidas a partir da queima do carvão mineral nas caldeiras da Usina Termelétrica Jorge Lacerda. A metodologia analítica empregada para determinação dos óxidos constituintes da cinza foi à fluorescência de raios-X. O ponto de fusão foi determinado com a utilização de um microscópio de contraste óptico. Os resultados obtidos foram correlacionados a partir de modelos lineares e não lineares, tendo como fatores a composição química da cinza e como resposta a temperatura de fusão. Os resultados apontam que o modelo não linear apresentou uma maior correlação entre os dados. Os resultados obtidos evidenciaram que a composição química da cinza influencia na sua temperatura de fusão. Estas informações são extremamente importantes e podem ser aplicadas no gerenciamento das unidades de forma a controlar a qualidade do carvão empregado nas caldeiras.


Palavras-chave


cinza de carvão; termoelétrica; óxidos; fluorescência de raio-X



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online