Prospecção Tecnológica sobre a Utilização de Cacau Fino

Tácila A. Mendonça, Emanuelle A. Dantas, Ana Alice L. de Gouvea, Roseane S. Oliveira, Aline R. C. Alves, Francine F. Padilha, Bruna Aparecida S. Machado

Resumo


Os grãos de cacau fino são de grande interesse internacional por conferir características particulares de aroma e sabor aos produtos. Dessa forma, objetivou-se analisar as potencialidades e evolução tecnológica através dos depósitos de patentes em relação ao cacau. A pesquisa foi realizada a partir da combinação de uma palavra-chave com o Código Internacional de Patentes (CIP), nos bancos de dados de patentes do INPI e Espacenet. O CIP mais empregado foi o A23G1/00. Observou-se um total de documentos depositados entre 1 e 4 patentes por ano no período de 1912 a 2000. Em 2001, verificou-se um maior número de pedidos de patentes (9). A Grã-Bretanha destacou-se por ser o maior detentor das patentes referentes a cacau e produtos de cacau (40). Notou-se que 98,39% dos documentos de patentes no Espacenet estavam voltados principalmente para o setor da indústria de alimentos e apenas 1,61% destinavam-se para a indústria farmacêutica. O Brasil não possuía muitos documentos de patentes depositados, dessa forma, existe a necessidade de maiores estímulos para Pesquisa e Desenvolvimento (P&D).

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20160078


Palavras-chave


Tendências tecnológicas; Patentes; Aroma/Sabor.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os coment?rios


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online