Aplicação de Dióxido de Titânio em Células Solares

Ana Beatriz Ferreira Vitoreti, Aline Lima Pena, Roberto Vaz, Ellen Raphael, Jefferson Luis Ferrari, Marco Antonio Schiavon

Resumo


Extensivas pesquisas têm sido desenvolvidas com células solares (CSs), uma vez que as principais fontes de produção de energia atuais são derivadas de combustíveis fósseis finitos e que causam problemas ambientais. Nesta perspectiva, o sol pode ser visto como o futuro energético do planeta, sendo a fonte de energia renovável mais abundante. O funcionamento básico de uma CS se baseia na habilidade em que os semicondutores apresentam de converter a luz solar em eletricidade, quando expostos à radiação solar. Um dos semicondutores que têm se destacado em CSs é o dióxido de titânio (TiO2), devido às suas propriedades intrínsecas, como uma larga banda proibida, transparência à luz visível, fotoestabilidade, baixo custo, dentre outras. Dentre os principais tipos de CSs que utilizam TiO2­, estão as CSs sensibilizadas por corantes, por pontos quânticos e as de perovsquitas. Nesta revisão os principais aspectos relacionados à síntese, propriedades texturais e morfológicas do TiO2 de interesse para aplicação em CSs são discutidos.


Palavras-chave


dióxido de titânio; semicondutor; células solares

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os coment?rios


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online