Avaliação da eficiência de inibidores de corrosão para concretos em ambientes contaminados com CO2 e íons cloretos

Cristiane Resende, Adriano Fernando Diniz, Patrícia Benedini Martelli, Alysson Helton Santos Bueno

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar, através de técnicas eletroquímicas, o comportamento e a eficiência de três inibidores de corrosão para concreto em ambientes marinhos e com contaminação por dióxido de carbono ( ) para simular a carbonatação do concreto. O inibidor sintético nitrito de sódio (NTS) e os inibidores comerciais sais de nitrito (SNI) e compostos orgânicos e inorgânicos (COI) foram testados nas concentrações 2, 3 e 4% m.V-1. Ensaios eletroquímicos foram realizados para avaliar a eficácia dos inibidores contra a corrosão causada por íons cloreto juntamente com o efeito de gás carbônico. Nestes testes, empregou-se uma solução simuladora de poros (SSP) que apresenta as características eletroquímicas do concreto, adicionando o cloreto e borbulhando o gás  até a obtenção de pH próximo de 7. Este procedimento foi utilizado para simular a carbonatação do concreto. Em ambientes com , onde ocorreu a queda do pH para aproximadamente 7, os inibidores NTS e SNI apresentaram um pequeno domínio de passivação. Para o inibidor NTS isto ocorreu em todas as concentrações testadas e com o inibidor SNI ocorreu em concentrações acima de 2%m.V-1. Para o inibidor COI, o aço apresentou dissolução ativa em todas as concentrações testadas, ou seja, não foi observado domínio de passivação nestas condições com o gás . Os ensaios de impedância apresentaram menor resistência à polarização para as soluções com .

Palavras-chave


Carbonatação; Concreto; Inibidores de Corrosão; Solução Simuladora de Poros.



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online