Reciclagem de Resíduos da Indústria Calçadista e Avaliação da Degradação em Solo

Michel Vinícius Flach, Ellen Seibt, Eduardo Luís Schneider, Viviane de Lima, Valdir Soldi, Luiz Carlos Robinson, Liane Bianchin, Vanusca Dalosto Jahno

Resumo


O setor de produção de calçados é um grande gerador de resíduos sólidos, exemplo são os resíduos de tecido de algodão e de borracha, que são materiais termofixos, assim apresentando características que dificultam a reciclagem. Assim, o objetivo deste estudo é a reciclagem mecânica destes resíduos, a partir de blendas contendo estes e polímeros de base, processados mecanicamente por cominuição,  extrusão e peletização, obtendo-se materiais analisados químicamente e posteriormente submetidos aos processos de injeção e laminação a fim de observar as características na forma de produtos industrializados. Os materiais foram caracterizados por ensaios de Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), Análise termogravimétrica (TGA) e Avaliação da Taxa de Liberação de CO2, onde observou-se que as amostras de material reciclado contendo tecido e os polímeros de base, apresentaram os valores de taxa de liberação de CO2 superiores aos valores do ensaio somente com o tecido, visto que este é um material biodegradável. Os materiais reciclados foram ainda submetidos aos processos de laminação e injeção onde foram avaliados de acordo com ensaios característicos para a produção de palmilhas de montagem, apresentando resultados satisfatórios para esta finalidade. Desta forma observa-se que o presente estudo é um avanço para a tecnologia de processamento de materiais, gerando novos produtos, com características adequadas à processos fabris e que apresentam capacidade de degradação microbiológica, quando descartados em solo.

Palavras-chave


blendas; CO2; resíduos; TGA;MEV



Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online