Interações sinérgicas em produtos naturais: potencial terapêutico e desafios

Livia Marques Casanova, Sônia Soares Costa

Resumo


Plantas medicinais constituem uma importante fonte de recursos terapêuticos, conforme atestam diversos medicamentos provenientes de substâncias de origem vegetal ou inspirados em seus farmacóforos. Entretanto, frequentemente, extratos de plantas medicinais exibem atividades biológicas mais pronunciadas que seus constituintes isolados. Isso se deve, frequentemente, às interações sinérgicas entre tais componentes, envolvendo, em geral, a atuação sobre múltiplos alvos. A sinergia entre medicamentos tem sido explorada nos últimos anos para o tratamento de diversas doenças, sobretudo o câncer e a AIDS. A combinação de substâncias ativas mostra-se particularmente promissora no tratamento de doenças complexas, pois permite a atuação simultânea sobre diversos alvos, garantindo maior eficácia e menor chance de resistência aos fármacos empregados. Nesse contexto as plantas medicinais e seus metabólitos têm sido objeto de crescente interesse. Interações sinérgicas, que podem ser observadas tanto entre componentes de extratos vegetais quanto entre produtos naturais e fármacos sintéticos, apresentam significante potencial terapêutico. Entretanto, são necessários métodos de estudo adequados para compreendê-las. Adicionalmente, a aplicação tecnológica de produtos de origem vegetal, cuja atividade biológica envolve sinergia, requer técnicas que permitam analisar a composição global destas. Na presente revisão serão discutidos exemplos relevantes de sinergia com enfoque em plantas medicinais e metabólitos secundários bioativos de origem vegetal. Também serão discutidos métodos aplicáveis a estudos de sinergia, bem como técnicas utilizáveis na padronização e no controle de qualidade de extratos vegetais cuja atividade farmacológica se deve a múltiplos componentes.


Palavras-chave


sinergia; plantas medicinais; metabólitos secundários

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os coment?rios


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online