Maytenus salicifolia Reissek (Celastraceae): Avaliação da Atividade de Extratos e Constituintes contra Helicobacter pylori e Micro-organismos Patogênicos da Cavidade Oral

Cassia G. Magalhães, Grácia D. de Fátima Silva, Lucienir P. Duarte, Jacqueline A. Takahashi, Vagner R. Santos, Rute C. Figueiredo, Sidney A. Vieira Filho

Resumo


Maytenus salicifolia Reissek é conhecida como "cafezinho" em Minas Gerais, Brasil. Suas folhas são utilizadas na medicina popular no tratamento de úlceras estomacais. Neste trabalho é reportado o isolamento de 4´-O-metilepigalocatequina (1) e  proantocianidina A (2) dos extratos polares da raiz (1; 4,36%; 2, 2,17%) e tronco  (1, 4,16%; 2, 0,26%) de M. salicifolia. Pela primeira vez, esses compostos foram encontrados na raiz dessa espécie. Esses constituintes foram encontrados em quantidades expressivas, o que torna M. salicifolia uma fonte alternativa desses compostos. Além disto, a atividade antimicrobiana de extratos polares (etanólico das raízes, etanólico e acetato-etílico dos galhos) e apolares (hexânico das raízes) dessa planta foi avaliada in vitro contra os patógenos da cavidade oral: Candida albicans, Streptococcus mutans, Streptococcus sanguinis e Staphylococcus aureus. Todos os extratos exibiram atividade antimicrobiana e C. albicans foi o micro-organismo mais sensível. Os triterpenos nepeticina, rigidenol, gloquidona, 11-a-hidroxigloquidona e 16-b-hidroxipristimerina, previamente isolados desta espécie, também foram testados contra Helicobacter pylori. Rigidenol e 16-b-hidroxipristimerina foram ativos contra essa bactéria. Os resultados contribuem para confirmar o uso na medicina popular de M. salicifolia no tratamento de úlceras e outros problemas estomacais e indicam que extratos dessa planta apresentam grande potencial para o uso no tratamento de doenças infecciosas da cavidade oral.

Palavras-chave


M. salicifolia; Celastraceae; propriedades antimicrobianas; Helicobacter pylori; patógenos orais.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os coment?rios


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online