Efeito Citotóxico de Extratos Obtidos de Cecropia catharinensis Cuatrec (Urticaceae)

Ana Paula de Almeida, José C. Quintela, Douglas S. A. Chaves, João F. Barbosa, Madalena Pinto, Madalena Pedro

Resumo


Os produtos naturais derivados de plantas continuam a ser uma importante fonte de substâncias biologicamente ativas para o tratamento do câncer. A ação citotóxica do gênero Cecropia ainda é pouco investigada, e a espécie C. catharinensis é aqui avaliada pela primeira vez. Este estudo relata a composição fitoquímica das folhas de C. catarinensis, além de sua atividade inibitória, in vitro, no crescimento celular de três linhagens de células tumorais humanas: adenocarcinoma de mama (MCF-7), células não pequenas de cancro de pulmão (NCI-H460) e melanoma (A375-C5), pelo extrato bruto (CME) e duas frações semi-purificadas (CME1 and CME2). O extrato bruto CME foi obtido por extração exaustiva das folhas secas de C. catarinensis. A fração de baixa polaridade (CME1) foi obtida a partir de CME pelo tratamento com diclorometano e acetato de etila, e a fração polar (CME2) corresponde ao resíduo insolúvel obtido no referido tratamento. Os efeitos do extrato bruto e das frações semi-purificadas foram avaliados sobre o crescimento celular de linhagens de células tumorais de acordo com os procedimentos adotados pelo Instituto Nacional do Câncer (NCI, USA). Os resultados foram expressos como valores médios de IC50 (?g.mL-1) ± SD dos três experimentos independentes realizados em duplicata. CME inibiu o crescimento celular das três linhagens utilizadas nos ensaios biológicos. A fração menos polar CME1 apresentou a maior atividade inibitória entre as três amostras testadas. A fração polar CME2 mostrou ser moderadamente ativa contra as linhagens MCF-7 e  NCI-H460 e foi inativa sobre as células A375-C5. Os resultados indicaram que a espécie C. catarinenses é uma potencial fonte de substâncias com ação citotóxica.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20160002


Palavras-chave


Cecropia catarinenses; efeito inibitório do crescimento; linhas celulares tumorais.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online