Recuperação Avançada de Petróleo: Potencialidades da Injeção WAG (Water Alternating Gas)

Katia Regina S. A. da Rosa, Maria Carmen M. Bezerra, Eduardo A. Ponzio, Anderson A. Rocha

Resumo


O aumento no fator de recuperação em um reservatório de petróleo é uma meta imprescindível na indústria petrolífera e, neste sentido, metodologias alternativas e complementares têm sido desenvolvidas, como a injeção alternada de água e gás (WAG), que vem sendo utilizada cada vez mais como um método de recuperação avançada de petróleo. Este método combina as melhores eficiências de deslocamento do gás e de varrido da água.  As recentes descobertas de reservas de óleo na camada de Pré-Sal, com quantidade significativa de gás, cujo teor de CO2 está na faixa de 8 a 12%, o aproveitamento do gás CO2 na injeção WAG (WAG-CO2) tem surgido como uma oportunidade para o Brasil. Além da boa perspectiva de aumento do fator de recuperação de petróleo desses reservatórios, este processo está alinhado com as ações de mitigação do efeito estufa por emissões de CO2­. O presente artigo traz uma compilação dos projetos de aplicação WAG encontrados na literatura, bem como tema relacionado às iniciativas brasileiras que tem como foco as simulações numéricas utilizando modelos de reservatório, visto que as rochas carbonáticas, comuns aos reservatórios do Pré-Sal, são reativas aos fluidos injetados.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20160055


Palavras-chave


WAG; CO2; recuperação avançada de petróleo.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online