Identificação e Quantificação de Contaminantes Emergentes em Estações de Tratamento de Esgoto

Rogério F. Silva, Gilson L. Silva, Paula T. S. Silva, Valdinete L. Silva

Resumo


A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que a maioria das doenças que afetam a população mundial estão associados com água contaminada. A comunidade científica tem publicado artigos que relatam a presença de micropoluentes em matrizes aquosas em níveis de concentração de ng.L-1 e ?g.L-1. O objetivo do presente estudo foi avaliar a presença de contaminantes emergentes em resíduos sanitários bruto e tratado e quantificá-los por cromatografia líquida e espectrometria de massas. Os resultados do presente estudo demonstraram a ineficiência do tratamento de águas residuais convencional em termos de degradação de contaminantes emergentes.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20160053


Palavras-chave


Poluentes emergentes; cromatografia; interferente endócrino; espectrometria de massa; poluição aquática.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online