Avaliação da Atividade Anticorrosiva de Formulações com Extrato Vegetal por Técnicas Eletroquímicas e Gravimétrica

Mariana A. de Albuquerque, Márcia Cristina C. de Oliveira, Aurea Echevarria

Resumo


A corrosão é um processo que degrada os metais espontaneamente, portanto, a busca por novos agentes ou formulações que possibilitem a diminuição desse efeito impõe-se como necessidade. Este trabalho objetivou a avaliação da eficiência como inibidores de corrosão de formulações, combinadas ou não, contendo o 4-hidroxibenzaldeído tiossemicarbazona (TIO-1) e outra contendo o extrato vegetal, em acetato de etila, da espécie Talinum triangulare (Portulacaceae) (TA). A metodologia utilizada para a avaliação da atividade anticorrosiva foi o ensaio gravimétrico de perda de massa e os eletroquímicos de polarização potenciodinâmica e espectroscopia de impedância eletroquímica. Os resultados mostraram que as formulações foram mais eficientes quando comparadas com a TIO-1 e o extrato vegetal isoladamente. O cálculo da capacitância de dupla camada (Cdl) para as formulações possibilitou avaliar que houve um aumento na resistência à transferência de carga e, possivelmente devido à formação de um filme protetor melhor que a TIO-1 e o TA isoladamente.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20150106


Palavras-chave


Inibidores orgânicos de corrosão; tiossemicarbazona; Talinum triangulare; atividade anticorrosiva.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os coment?rios


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online