Cristalização e Análises dos Dados de Difração de Raios X da Enzima Urocanato Hidratase de Trypanosoma cruzi

Sheila Boreiko, Marcio Silva, Jorge Iulek

Resumo


Trypanosoma cruzi é o único tripanossomatídeo patogênico de humanos no qual as quatro enzimas da via de degradação de histidina foram encontradas até agora. A enzima urocanato hidratase de Trypanosoma cruzi catalisa o segundo passo da degradação da histidina e é essencial para a conversão catabólica de urocanato a 4-imidazolona-5-propionato, o qual finalmente produz glutamato e depois glutamina e outros intermediários do ciclo dos ácidos tricarboxílicos, tais como o alfa-cetoglutarato. A proteína recombinante foi expressa com cauda His6 na região N-terminal em Escherichia coli, purificada de forma homogênea e cristalizada em várias condições, tal que os melhores cristais foram obtidos com 0,04 M de dihidrogenofosfato de potássio, 16,00 % (w/v) de polietileno glicol (PEG) 8000 e 22,00 % (v/v) de glicerol. Dados de difração de raios X foram coletados a 2,61 Å de resolução. Os cristais pertencem ao grupo de espaço P21, com parâmetros de célula unitária a = 85,12, b = 137,63, c = 117,69 Å, beta = 94,69 ° e são adequados para faseamento por substituição molecular. A unidade assimétrica contém quatro monômeros, com VM de 2,3 Å3/ Da e um conteúdo de solvente de 45,9 %.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20160051


Palavras-chave


Doença de Chagas; Trypanosoma cruzi; metabolismo da histidina urocanato hidratase.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online