Transesterificação de Óleo de Soja para Biodiesel Via Resinas de Troca Iônica Catiônica e Aniônica

Erica V. A. Oliveira, Luciana C. Costa, Dominiki M. Thomaz, Marcos A. S. Costa, Luiz Claudio Santa Maria

Resumo


Este trabalho reporta os resultados da avaliação das resinas comerciais Amberlyst 15Wet (resina catiônica) e Amberlyst-26OH (resina aniônica), ambas de estrutura macroporosa, na reação de transesterificação de óleo de soja com metanol e etanol. A influência das condições reacionais, tais como o tipo e quantidade de catalisador, tempo de reação, razão molar álcool e óleo foram investigadas. A resina aniônica mostrou-se mais eficiente do que a resina catiônica para a produção de EMAGs (ésteres metílicos de ácidos graxos) e EEAGs (ésteres etílicos de ácidos graxos). A conversão de óleo de soja em EMAGs empregando a resina aniônica foi de 100%, usando 12,5 mol % de resina, razão metanol:óleo 100:1 e tempo reacional de 8 horas. Os ésteres metílicos puderam ser classificados como biodiesel de acordo com as normas das Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biodiesel (ANP), normas europeias (EM) e Sociedade Americana para Testes e Materiais (ASTM): ANP 14 (2012), ANP 07 (2008), ASTM 6751(2008) e EN 14214 (2003). Para os ésteres etílicos, alguns parâmetros como viscosidade, teor de água e de glicerina necessitam ser otimizados.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20150138


Palavras-chave


Transesterificação; resinas de troca iônica; óleo de soja; biodiesel.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online