Efeito Antinociceptivo e Anti-inflamatório de Caulerpa kempfii (Caulerpaceae)

Carolina B. B. da Matta, Luiz Henrique A. Cavalcante-Silva, João Xavier de Araújo Júnior, George Emmanuel C. de Miranda, Katherine X. Bastos, Jessica Celestino F. Sousa, Bárbara Viviana O. Santos, José Maria Barbosa-Filho, Magna Suzana Alexandre-Moreira

Resumo


Os organismos marinhos são uma fonte rica para a pesquisa de novos protótipos de fármacos, entre eles, as algas são um grupo muito diverso, com diferentes características morfológicas, estruturais e metabólicas. O presente trabalho teve como objetivo avaliar as propriedades anti- inflamatória e antinociceptiva das frações hexânica (HE), acetato de etila (AE) e hidroalcoólico (HA) de Caulerpa kempfii em camundongos. Para tanto, foram utilizados os modelos de contorção abdominal induzida por ácido acético, teste de placa quente e nocicepção induzida por formalina para avaliar o potencial antinociceptivo das frações, enquanto o teste de peritonite induzida por carragenina foi utilizado para investigar o efeito anti-inflamatório de C. kempfii. No ensaio de contorções abdominais, o HE, AE, HA e dipirona induziram uma inibição de 76,7, 83,9, 90,8 e 89,3%, respectivamente. Já no teste da placa quente, os extratos de C. kempfii não aumentaram o tempo de latência dos animais em todos os tempos avaliados. Na fase neurogênica do teste de formalina, as frações induziram uma inibição de 28,0% (HE), 37,4% (AE) e 35,9% (HA). Enquanto na fase inflamatória, a inibição foi de 55,1% (HE), 44,5% (AE) e 54,9% (HA), enquanto a indometacina inibiu 62,6%. Além disso, na peritonite induzida por carragenina, foi observada uma redução na migração celular após o tratamento com todas as frações. Dessa forma, com o presente estudo, conclui-se que HE, AE e HA de C. kempfii possuem atividade antinociceptiva e anti-inflamatória e poderiam ser utilizados no desenvolvimento de fitoterápicos e na busca por novos protótipos de fármacos.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20150033


Palavras-chave


Caulerpa kempfii; antinociceptivo; anti-inflamatório; algas verdes.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online