Alcaloides Marinhos Bromopirrólicos

Renata B. Lacerda

Resumo


As micromoléculas orgânicas que fazem parte dos metabólitos secundários produzidos por plantas, insetos, micro-organismos e organismos marinhos constituem uma rica fonte de diversidade e complexidade de estruturas químicas originais que servem de inspiração para as pesquisas nas diversas áreas da ciência. Dentre os organismos marinhos, as esponjas produzem uma grande diversidade de metabólitos secundários, muitos dos quais tem estruturas originais de grande interesse para a farmacologia e química medicinal. Esses compostos representam um importante recurso natural, pois podem levar à produção de novos medicamentos contra o câncer e outras doenças graves. Dentre esses compostos, os alcaloides bromopirrólicos fazem parte de uma família de compostos exclusivamente marinhos e são um exemplo da diversidade química dos metabólitos secundários biossintetizados pelos invertebrados marinhos. O grande interesse nesta classe de produtos naturais tem aumentado particularmente devido a suas intrigantes e promissoras propriedades farmacológicas, tais como bloqueadores ?-adrenérgicos, antagonistas serotoninérgicos, inibidores da atividade quinase, neuroprotetores, antimaláricos, analgésicos, anticâncer, antibacterianos, antifúngicos e anti-histamínicos. Desde a descoberta da oroidina, primeiro membro desta família de alcaloides, centenas de compostos originais estruturalmente relacionados, com diferentes atividades farmacológicas, foram descobertos e descritos na literatura. Esses alcaloides oroidínicos tem sido importante fonte de inspiração para os químicos medicinais e vem sendo amplamente utilizados como protótipos para o planejamento de novas entidades químicas com atividade farmacológica e, já originaram diversos análogos sintéticos bioativos descritos na literatura.

 

DOI: 10.5935/1984-6835.20150032


Palavras-chave


Produtos naturais marinhos; alcaloides bromopirrólicos; atividade farmacológica; análogos sintéticos bioativos.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
A Revista Virtual de Química está licenciada sob as condições do Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License. Sob esta licença, a RVQ permite que seu conteúdo seja copiado, distribuído, exibido e executado desde que os devidos créditos à Revista e aos autores sejam dados. Contudo, o usuário não poderá utilizar o conteúdo com finalidades comerciais, a menos que obtenha permissão da Editoria da Revista.
Visitantes Online